CidadeVelozCidade (2014)

by Plastic Fire

supported by
/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.

      $5 USD  or more

     

1.
2.
3.
4.
02:42
5.
6.
01:50
7.
03:14
8.
03:29
9.
03:34
10.
02:24
11.
03:28
12.
04:58

about

recorded in Brasil (Oct and Jan 2013/2014), at Superfuzz Estudio and mixed and mastered by Gabriel Zander

credits

released April 28, 2014

tags

license

all rights reserved

about

PlasticFire Rio De Janeiro, Brazil

Since 2006 - hardcore from Rio de Janeiro - Brasil

Daniel - guitar
Marcelo - drums
Marcio - bass
Reynaldo - vocal

Contato: parmameister@gmail.com

contact / help

Contact PlasticFire

Streaming and
Download help

Redeem code

Track Name: A Terceira Pílula
A 3ª Pílula

Se Você Nunca Pensou O Quanto Toda Sua Vida
Poderia Ser Diferente Disso Aqui,
Se Você Nunca Tentou Qualquer Arguição Que Seja
Isso Não Te Parece Ser Estranho Demais?

Superficialidades Feitas Repetidamente
Falso Comprometimento, Muito Blá Blá Blá!
Se As Ofensas Não Faladas São As Que Te Ofendem Mais,
Seja Você Sua Própria Indignação!!!

Seja Você Sua Própria Indignação!!!
Seja (O Que Eu Quero Ser?) Você (O Que Eu Devo Ser?)
Sua Própria Indignação!!!
(O Que Eu Quero Do Que Eu Posso No Que Eu Devo Ser?)

Toda Esta Normalidade Ainda É Tanto E Tão Pouco,
Tolice É Medir A Vida Seguindo Estes Dias
Se Existir Se Torna Apenas Conseguir Permanecer,
Aqui E Agora Não É Mais Que Se Manter?

Se Deixar Perder No Tempo Faz De Si Diminutivo,
Estar Disposto A Ser Tão Pouco E Ainda Se Curvar
Se As Ofensas Não Faladas São As Que Te Ofendem Mais,
Seja Você Sua Própria Aniquilação!!!!

Seja Você Sua Própria Aniquilação!!!
Seja (O Que Eu Quero Ser?) Você (O Que Eu Devo Ser?)
Sua Própria Aniquilação!!!
(O Que Eu Quero Do Que Eu Posso No Que Eu Devo Ser?)

Estar No Limiar Sem O Desejo De Justificar
O Que A Maioria Define Sempre Como Algo Absoluto
E Nem Sempre Conseguir, Pois Este Mundo Cisma Em Insistir
Estipulando A Pertinência Dos Padrões Convenientes!

Felicidade Estéril? Convicções Discretas?
Calúnias Convincentes? Eu Não Quero Ser!
Prazer Minimalista? Imagens Distorcidas?
Instantes Privativos? Eu Não Quer Ser!
Mentiras Relevantes? Opiniões Sensatas?
Verdade Absoluta?
Track Name: Nos Limites De Uma Via De Mão Única
Perplexidade: Me Obrigo A Me Abandonar
A Vida Menospreza Cada Instante
A Indiferença É Algo Que Ficou Pra Trás
E O Que Se Faz Aqui Não Pode Ser Em Vão!

Eu Não Devia Estar Aqui (E Estou Aqui!),
Eu Não Devia Ser Quem Sou (E Sou Quem Sou!)
Como Exprimir Os Empecilhos Destas Relações
Se Nada Disso Passa De Persuasão?

Cale-Se E Verás
O Quão Amargo Tudo O Que É Perfeito Pode Ser
Silencie-Se E Terás Todos Os Castigos Juntos
De Uma Só Vez!

E O Que Te Falta Pra Vencer, Então?
“- Quem Sabe, Interesse?’’

Eu Não Preciso Difundir, (Não Difundir!),
Eu Não Preciso Corromper (Nem Corromper!),
Mas Como Posso Recusar Esta Vaidade
Se Os Teus Instintos Rumam À Inconclusão?

Vingue- Se E Terás
Muito Mais Inimizades Para Saciar
Ignore-Se E Serás A Pior Das Desavenças
Que Se Pode Ser!

E O Que Te Falta Pra Vencer, Então?
“- Quem Sabe, Só Coragem?”

A Voz Pode Ser Fraca, Mas A Canção Jamais!
Track Name: Vazios E Complexos
Vazios E Complexos

Se Subjugue Uma Só Vez
E, Para Sempre, Estarás
Condenado A Se Dobrar
Pois De Joelhos Você Vê Melhor (E Enxerga)
A Imensidão De Regras A Seguir

É Vantagem Nunca Contestar,
Por Apenas Não Se Perguntar
O Que Pode Acontecer? (((O Que Pode Acontecer?)))

Da Passividade À Sujeição,
Entre Ser Omisso E Dizer Não,
É Maior Comodidade Concordar
E Se Esquecer De Si?



Perdido, Não Se Emancipar,
É Onerosa Tanta Convicção
Pois Repensar Sobre Os Seus Dias (((Seus Dias)))
Faz Você Ver Quão Raro É Respirar


O Importante Em Nunca Se Afirmar
É, Por Completo, Ignorar
Quão Efêmero É Você... (((Quão Efêmero É Você...)))


...E Porquanto Ainda Residir
Em Se Esconder Tanto De Si
Se A Tua Felicidade É Muito Mais...
...Que Se Contradizer?

E O Que É
Toda Esta Ausência
Além De Quem Se É?
Track Name: Respirar
Respirar

É Como Se Explodir Já Não Fizesse Assim Tão Bem,
E Quanto Tempo Tem Que Você Não Descansa?

''-...Mas E Se Eu Não Fizer Agora, O Que Será De Mim?
E Se O Fim Souber Demais Das Nossas Horas?...''

...Se Nos Relógios Os Teus Ponteiros
Só Remam Contra O Que Se Quer...

Esqueço A Escotilha, Pois A Fuga Nunca É Fuga,
Eu Sou A Gota D'água Que A Enxurrada Não Vai Levar!

Deixe Que O Tempo Vai Cicatrizar As Diferenças,
Deixe Que As Desavenças Algo, Aos Poucos, Sempre Irá Curar!
Deixe Que O Tempo Vai Cicatrizar As Diferenças,
Deixe Que As Desavenças Deixem Você Respirar!

E Se Pensar Demais Te Rouba O Tempo Que Te Resta,
O Que É Dito Sem Pensar Às Vezes Já Não Faz Tão Bem!!!

Encher Os Meus Pulmões De Ar, Deixar Que Eles Queimem,
Encontro A Sobrevida No Que Só Me Faz Sorrir!!!

Ter Calma E Pressa Ao Mesmo Tempo,
Ser Ponderado, Saber Morrer!

A Chuva É Um Bom Descanso Quando Tudo É Só Tormenta
E Até Debaixo D'água Encontro Um Jeito De Respirar...
Track Name: Sobre O Óbvio
Sobre O Óbvio Destes Signos

Dentro Dos Ossos, Dentro Dos Ossos:
A Primeira Maldição, O Início Dos Teus Lamentos!

Em Tuas Costas, Em Tuas Costas:
Antes Mesmo De Nascer, Execrado A Não Se Erguer!

A Queda Sobrepuja A Ascensão,
O Mito Te Transforma Em Servo Por Aceitação
Com Pouco A Teu Favor E Muito A Te Acusar:
Falso, Mediano, Oprimido, Fútil E Sem Razão!

E Por Que Não? E Por Que Não Existir? E Por Que Não?

Dentro Do Crânio, Dentro Do Crânio:
O Peso Te Fará Curvar, Até Não Poder Aguentar!

Sobre Os Teus Ombros, Sobre Os Teus Ombros:
O Firmamento, A Morte, A Culpa, O Mundo, E Muito Mais!


Um Rei Num Lugar Inóspito Sem Nunca Prosperar,
Carrega No Peito O Pranto De Todas As Gerações
E A Interpretação Da Contingência Te Tornou
O Mais Normal, Do Mais Normal, No Mais Normal:
Um Deus-Normal!


E Assim Segue A Punição, E Assim Segue A Aceitação,
E Assim Somos O Que Somos Sem Saber Seguir!
Track Name: Dinossauros
Dinossauros

Aquele Olhar Se Fez Tão Justificável,
Ainda Que Você Nem Tenha Reparado
Complicado Mesmo É Conseguir Não Se Deixar Levar
Por Tudo Aquilo Que Se Arrisca A Nos Convencer...

De Que Já Não Existimos Mais, De Que Já Não Estamos Mais Aqui,
De Que Nunca Fomos Reais, De Que Já Não Somos Nada!

De Uma Forma Ou De Outra, Ainda Estamos Guardados Dentro,
E Ainda Sim, Bem Mais Que Isso, Perambulamos Em Nós Mesmos!

Se As Risadas Ainda Ecoam, Se Os Dinossauros Ainda Voam,
Se A Gente Nem Se Preocupa Mais
Em Parar Pra Explicar!

Nomes Difíceis, Coisas Simples, Pobre Coitado De Quem Se Esconder
Por Trás De Medos, Segredos, Mágoas, Silêncio E Poréns!

Mesmo Que Tudo Voe, Mesmo Que Eu Destoe,
Mesmo Que A Gente Nem Se Veja Mais!

Que Seja Tão Verdadeiro Que Sangre, Que Seja Tão Sincero Que Mate,
Que Seja Tão Incoerente E Que Faça Viver!

Há O Que Não Vai Morrer, Há O Que Não Vai Passar,
Há O Que Não Vai Ter Fim!!!!
Track Name: Ausência
Ausência

Você Não Encontra Aqui Nada Que Não Seja Eu,
Sou Reflexo Puro E Simples, Sem Reflexão!

Sem Presença, Nem Ausência, Causa, Efeito, Ocorrência,
Tudo É Acontecimento E A Catarse Me Toma À Força E Vai!

Possuído Por Mim Mesmo, Sou Apenas O Que Quero Ser!!!
Pouco Além Dessa Tragédia, Aconteça O Que Acontecer!!!

E, Sendo Bem Maior Que Eu, Já Não Caibo Em Qualquer Molde,
Devo Me Expandir (((E Explodir!)))

E, Se Me Expulso De Mim Mesmo, Estou Disposto A Transbordar,
E Num Instante Já Nem Sei Quem Fui!!


Este Todo Já Não Basta, Eu Preciso Ser Sincero,
Não Disfarço O Meu Disfarce E Aproveito A Dor!

As Palavras Não Me Tocam, Absorvo Qualquer Golpe,
Vou Além Do Precipício, Eu Preciso Me Precipitar!

E A Energia Que Dissipo Desvincula O Meu Contorno,
E O Conforto Já Não Mora Aqui!

E A Abertura Da Presença Se Transforma Em Transcendência
E Se Concentra Em Nos Ultrapassar!!!


Quem É Você Pra Me Dizer Qualquer Coisa Que Seja Sobre Mim?
Track Name: Labirintos
Labirintos

Me Olhe E Não Verás O Que Não Está Aqui,
Me Observe E Não Encontrarás Razões!
(((Quais Razões?)))

Me Escolha E Não Terás Mais Nada Pra Seguir,
Me Siga E Não Serás Ninguém Além De Mim!

Me Tire Daqui!

Caminhos Traçados, Sentidos Forçados
Sem Ter Noção Por Onde Caminhar!!!

Eu Me Pergunto Há Quanto Tempo Estou Aqui
E Encontro Muito Pouco Além De Labirintos E Muros E Chão!

Cem Mil Voltas, Atropeladas, Em Torno De Si Mesmo,
Onde E Quando Tudo Vai Parar?

Corra Agora, Não Pense Em Nada, Que Possa Ocultar
O Som Dos Pés Golpeando O Chão
É Aquilo Que Vai Te Guiar!

Há Um Labirinto Em Cada Pensamento,
E Vc Já Pensou Em Pensar Não Pensar?


Por Mais Que Você Corra, Sei Que Não Vai Chegar,
A Lugar Nenhum, A Nenhum Lugar...
(Mentira!)
Track Name: Em Chamas
Em Chamas

Eu Já Não Posso Crer, Já Não Consigo Preterir:
Tudo O Que Sinto É Só Parte De Uma Parte Do Que Sinto,
E Eu Não Posso Sentir...

Me Esqueço De Tentar E Preferi Me Sujeitar,
Ao Exercício Das Tolices Que Me Tornam Tão Covarde
Tentando Me Fazer Maior

Não Posso Ser Só E Apenas Mais Um,
E Não Sei O Que Quero Ser,
Mas Sei Que Algo Em Mim Agora Vai Partir...


Em Chamas, Eu Decidi Não Me Render,
Em Chamas, Apenas Resistir!
Em Chamas, Apenas Não Me Render,
Em Chamas, Decido Resistir!


Não Posso Me Conter E Me Obrigo A Admitir:
Se Estes Verbos São Só Verbos Frente A Tudo O Que Desejo,
Então Posso Mentir?

E Se Eu Acreditar Nas Inverdades Que Contar,
Não É Apenas Por Fraqueza Que Me Torno Coerente,
Tentando Me Fazer Feliz?

Não Posso Mais Ser Só E Apenas Mais Um!!!
E Não Sei O Que Quero Ser!
Mas Sei Que O Que Eu Era Há Muito Já Se Foi...

Em Chamas, Eu Decidi Não Me Render,
Em Chamas, Apenas Resistir!
Em Chamas, Apenas Não Me Render,
Em Chamas, Decido Resistir!
Track Name: Anti-Exemplo
Anti-Exemplo

Me Acostumei Às Exigências Deste Mundo
E Sucumbi, Pois Tudo Só Me Quer Tão Mal
Testemunhei Minha Inocência Ser Tomada
E Assumi O Que Não Pude Recusar

Se Assim Me Sufoquei E Não Me Fiz Ouvir,
Por Que Continuei Com Tantas Aflições?

Desafiei A Contragosto O Meu Destino,
Observei, Fui Obrigado A Revidar
Acreditei Que A Rendição Era Outro Engano
E, Mesmo Assim, Eu Preferi Me Descuidar

Se Me Desiludi E Aos Gritos Me Calei,
Por Que Continuei A Desdenhar De Mim?
Track Name: Vida Real
Vida Real

Não Vejo Mais Porque Manter Os Ossos No Lugar
Sem Ter Motivo Algum!
Não Tenho Mais Razões Para Querer Procrastinar
O Que Não Tem Função!

Maldita É Toda Pretensão De Organizar!
Compartimentos, Divisões, Comparações, Restrições,
Categorias, Modos, Classificações!

Fugir, Do Que, Além De Mim?
Fugir, Do Que, Além Daqui?

Fugir, Do Que, Além De Mim?
Se Tudo O Que Está Dentro É Muito Pra Aguentar?

Fugir, Do Que, Além Daqui?
Se Tudo O Que Inventei Foi Pra Justificar
Essa Vida Real!


Não Tento Mais Viver Sem Me Causar Complicações,
Não Sinto Dissabor!
Não Vejo Mais Prazer Em Conseguir Me Repreender,
Não Tento Me Poupar!

Maldita É Toda Pretensão De Especular!
Todos Os Seus ''Ismos'', Previsões, Difamações, Redenções,
Escrúpulos, Consensos, Dissimulações!

Restou Tão Pouco Aqui
Do Que Era Amargo Em Mim,
E Eu Já Sei De Cor
O Que É Maior E O Que É Real!

Então Vai Ser Assim:
Não Vou Me Remoer,
E Nem Ignorar
O Que É Maior No Meu Real!
Track Name: A Ponte
A Ponte

Nós Não Somos Iguais!

As Tábuas Já Não Me Sustentam Mais Pois Nada Se Sustenta Em Mim
Está Tudo Sempre Se Equilibrando, Tudo Sempre Oscilando
Entre A Permanência E O Fim!

As Cordas Já Não Me Aguentam Mais, Não Servem Nem Mais Pra Enforcar
O Inimigo Que Você Não Move E Apenas Te Observa
É Só Mais Um A Se Equilibrar!!!!

Não Me Importa O Seu Tamanho, Há Sempre Alguém Muito Maior
E Quem Deve Ceder - Além Da Ponte?
Não Me Importa O Seu Rugido, Há Sempre Um Som Que Assusta Mais
Alguém Deve Ceder - Nem Que Seja A Ponte!

Daqui De Cima Eu Posso Ver Melhor O Que Você Tem Pra Esconder
Querer Distância De Certos Pontos Pode Te Manter Ileso
Mas Não É Isso Que Eu Vou Fazer!

Não Me Importa A Sua Força, Há Sempre Alguém Capaz De Mais
E Quem Deve Ceder - Além Da Ponte?

Não Me Importa A Violência Que Você Tem A Oferecer,
Alguém Deve Ceder - Nem Que Seja A Ponte!

E Se O Embate Parece Iminente É Bom Saber Se Defender,
E Se O Abismo Te Observa O Que Você Deve Fazer?
Permanecendo Inflexível Ao Invés De Arrepender
Estipulando Seus Argumentos Sem Ter O Que Escolher!

Nós Não Somos Iguais!